spx-clinica-spx-imagem-infeccoes-podem-afetar-o-coracao-capa

Estudo: Como as Infecções Podem Afetar o Coração?

Descubra como as infecções podem afetar o coração e trazer implicações para a sua saúde cardiovascular se não houver tratamento

 

Infecções, à primeira vista, são uma realidade comum, variando desde resfriados sazonais até doenças mais graves como pneumonia e sepses. Embora por vezes tratadas como condições temporárias e isoladas, elas podem ter impactos significativos e duradouros na saúde, especialmente no sistema cardiovascular.

Manter a saúde cardiovascular, sobretudo, é crucial para o bem-estar geral, e compreender os efeitos das infecções nesse sistema é essencial para a prevenção e tratamento adequados. Acima de tudo, o coração e os vasos sanguíneos trabalham harmoniosamente para garantir a circulação eficaz do sangue.

Entenda de que Forma as Infecções Podem Afetar o Coração

spx-clinica-spx-imagem-como-infeccoes-podem-afetar-o-coracao

Uma infecção, em suma, envolve um processo inflamatório desencadeado pelas toxinas liberadas pelo agente infeccioso, seja bactéria, vírus ou fungo. Assim, esse processo inflamatório é dinâmico, liberando grandes quantidades de radicais livres de oxigênio na circulação, o que causa mudanças significativas na função dos órgãos e no comportamento dos vasos sanguíneos.

Veias e artérias são os canais por onde o sangue circula, levando nutrientes ao coração e às partes periféricas do corpo. Analogamente, esses vasos sanguíneos se contraem e dilatam harmoniosamente, permitindo o fluxo sanguíneo. A pressão arterial depende, entre outros fatores, desse equilíbrio entre contração e dilatação dos vasos.

Desse modo, um processo infeccioso pode afetar significativamente esse movimento dos vasos sanguíneos, resultando em variações da pressão arterial. As toxinas e as partículas inflamatórias são fontes de radicais livres que agem diretamente nas paredes das veias e artérias, mantendo esses vasos contraídos ou dilatados por períodos prolongados.

Efeitos Indiretos das Infecções nos Rins

Steven Crowley, professor do Departamento de Medicina da Duke University (EUA), destaca os efeitos indiretos das partículas inflamatórias nos rins.

Os rins, primordialmente, são cruciais no controle da pressão arterial, regulando o volume sanguíneo e eliminando sal (sódio) pela urina. Durante uma infecção, então, esses mecanismos se tornam menos eficazes, levando à retenção de água e sal e, consequentemente, à elevação da pressão arterial.

As infecções alteram significativamente o ambiente químico e elétrico das células. As células funcionam como usinas, realizando reações químicas complexas e descargas elétricas continuamente. Nosso metabolismo depende dessas reações silenciosas e invisíveis, essenciais para nossa sobrevivência.

A Progressão da Sepse: Riscos Cardiovasculares Elevados

spx-clinica-spx-imagem-risco-sepse-saude-cardiovascular

Quando uma infecção se dissemina de um órgão específico para todo o corpo (sepse), o risco de complicações cardiovasculares aumenta significativamente. Nesse sentido, a fase aguda da sepse dura de dias a semanas, enquanto a fase crônica pode se estender por meses após o início da infecção.

Pesquisadores da Universidade de Pittsburgh (EUA) propuseram um modelo conceitual interessante para essas duas fases, considerando as repercussões cardiovasculares.

Durante a fase aguda da sepse, ocorrem:
  • Tempestade inflamatória;
  • Liberação massiva de adrenalina e noradrenalina (substâncias que promovem contração dos vasos sanguíneos, aumento da frequência cardíaca e picos de pressão arterial);
  • Formação de grande quantidade de radicais livres de oxigênio;
  • Perda de força nas células do músculo cardíaco, resultando em queda da pressão arterial;
  • Ruptura de placas de gordura nos vasos sanguíneos, com fragmentos se espalhando;
  • Risco elevado de infarto do coração, derrame cerebral e arritmias cardíacas como fibrilação atrial.

Eventualmente, a persistência da sepse leva a:
  • Continuidade na produção de radicais livres de oxigênio;
  • Aumento do risco de tromboses pelo corpo;
  • Crescimento das placas de gordura dentro dos vasos sanguíneos;
  • Endurecimento da parede das artérias;
  • Redução da contratilidade do músculo cardíaco;
  • Formação de cicatrizes no músculo cardíaco (fibrose do músculo).
Ociosidade-09-Cardiologista
Ociosidade-09.02-Clinico-Geral

Prevenção e Tratamento: A Sinergia entre Clínico Geral e Cardiologista

Em primeiro lugar, o clínico geral é crucial no combate às infecções, sendo o primeiro ponto de contato para pacientes em busca de diagnóstico e tratamento. Eles reconhecem os sinais e sintomas iniciais de infecções bacterianas, virais e fúngicas, realizando uma avaliação inicial abrangente para determinar a origem e a gravidade da infecção.

Além disso, o clínico monitora a resposta do paciente ao tratamento e encaminha para especialistas quando necessário. Sua abordagem holística envolve também educar os pacientes sobre medidas preventivas, bem como vacinação e higiene adequada, para reduzir o risco de infecções recorrentes.

Por outro lado, o cardiologista é essencial na prevenção, diagnóstico e tratamento de condições cardiovasculares que podem surgir como complicações de infecções. Em colaboração com o clínico geral, esse médico garante uma abordagem integrada e eficaz na proteção do coração contra os efeitos adversos das infecções e outras condições de saúde.

Exames Indispensáveis para Avaliação Cardíaca

Sob o mesmo ponto de vista, confira alguns exames cardiológicos que são fundamentais para o diagnóstico precoce e acompanhamento das doenças cardiovasculares:

  1. Eletrocardiograma (ECG): Registra a atividade elétrica do coração para avaliar ritmo e função cardíaca.

  2. Ecocardiograma: Utiliza ultrassom para visualizar estruturas do coração, bem como válvulas e câmaras, e avaliar o fluxo sanguíneo.

  3. Teste Ergométrico (Teste de Esforço): Avalia a resposta do coração ao exercício físico, monitorando sinais como frequência cardíaca e pressão arterial.

  4. Holter: Monitora continuamente a atividade elétrica do coração ao longo de 24 horas, geralmente para detectar arritmias.

  5. Mapa (Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial): Registra igualmente a pressão arterial ao longo de um período prolongado, geralmente 24 horas, para avaliar variações ao longo do dia e durante atividades normais.

Agende Sua Consulta e Seus Exames na SPX Clínica!

Desde já, é importante compreender como as infecções podem afetar o coração, destacando a importância vital de cuidados preventivos, consultas regulares e realização de exames cardiológicos. Como resultado, pode-se prezar por um coração saudável e prevenir problemas cardíacos relacionados a infecções.

Nesse sentido, a SPX Clínica Santana de Parnaíba (Consulta, Exames e Vacinas), e a SPX Taubaté e SPX Joinville (somente exames de imagens), podem te ajudar com cuidados abrangentes e necessários para sua saúde e bem-estar!

Faça Seu Agendamento Clicando Aqui!

Últimas Notícias:

1